Login  Recuperar
Password
  Sábado, 29 de Abril de 2017
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Escolhas do Editor, Regional, Ocorrências
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Crime passional na Suíça envolve naturais do Nadadouro

Dois homens, naturais da freguesia do Nadadouro, nas Caldas da Rainha, e uma mulher, cuja naturalidade estava ainda por confirmar, são os protagonistas de uma tragédia ocorrida na manhã da passada segunda-feira na Suíça. Os três foram encontrados mortos. Supõe-se que um dos homens, ex-companheiro da mulher, matou-a com um tiro, fazendo o mesmo ao atual companheiro dela e de quem chegou a ser grande amigo. De seguida suicidou-se.

04-11-2014 | Francisco Gomes

Sobrinho e irmã de Jerónimo, no Nadadouro
Sobrinho e irmã de Jerónimo, no Nadadouro
O caso passou-se na vila de Wilderswil, no cantão de Berna, e segundo os contornos do caso tornados públicos, Lídia vivia ali há cerca de um ano com Jerónimo Pereira, de 52 anos, e terão casado há dois meses. Mas Alípio Jacinto não se conformava com a relação da ex-companheira e ainda por cima com o amigo que há 26 anos tinha levado para a Suíça.
Para agravar a situação, havia um litígio por causa de um filho em comum de Alípio e Lídia. O homem tinha perdido a tutela do rapaz de sete anos.
As ameaças e perseguições a Lídia e ao atual companheiro já durariam há algum tempo. Há até o relato de que à junta de freguesia do Nadadouro terá sido feito um telefonema, há um ano, a comunicar que Jerónimo tinha morrido e que o funeral seria dois dias depois, o que não confirmou. Na altura, o caso foi abafado por Jerónimo, o que indicia que já previa problemas.
Na segunda-feira Alípio perdeu as estribeiras e cerca das sete da manhã tocou à campainha da casa da ex-mulher. Quando esta apareceu à porta alvejou-a. Jerónimo, alertado pelo disparo, foi em seu socorro, mas também seria atingido mortalmente.
Alípio terá ainda tentado disparar contra a filha mais velha de Lídia, fruto de outra relação. Diana, com cerca de 20 anos, conseguiu fechar a porta e proteger os seus dois irmãos – Ana, de 16 anos, também fruto da anterior relação, e o filho em comum de Lídia e Alípio, que teriam entre 45 e 50 anos.
Desesperado, o emigrante disparou contra si próprio, dentro do automóvel em que se fazia transportar.

Família no Nadadouro apanhada de surpresa

Jerónimo Pereira tinha uma irmã na Suíça, a viver próximo de si. Foi ela quem comunicou o sucedido aos familiares em Portugal.
É no Nadadouro que reside Ema Caetano, outra irmã da vítima, que foi apanhada desprevenida com a situação.
“O meu irmão está há 26 anos na Suíça. Vinha cá todos os anos, mas desde o ano passado que não vinha. Tinha pouca ligação connosco e nem nos vinha ver. Não tem casa cá, passava na Foz do Arelho”, relatou Ema Caetano.
“Nem sabia que tinha casado. Não conheço a rapariga nem sei de onde ela é. Fiquei triste mas é tudo uma surpresa. Não sabemos nem como nem porquê”, adianta.
Uma sobrinha da vítima de Jerónimo contou que só teve conhecimento de Lídia quando há um ano telefonaram para a Suíça para comunicar o falecimento do pai de Jerónimo e quem atendeu o telefonema foi Lídia, que se apresentou como companheira do emigrante.
Jerónimo tem um filho da primeira mulher, um menino com dez anos. Ambos também se encontram na Suíça.
O homem trabalhava num hotel, enquanto que Lídia numa lavandaria. Sobre Alípio, até ao fecho desta edição as informações eram escassas. Continuaria com fortes ligações à Suíça, mas com várias passagens nos últimos tempos por Portugal. E terá viajado para a Suíça horas antes de cometer os crimes.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
Francisco Gomes08-01-2015 às 17:07
Votação (0)
Pode registar-se gratuitamente neste portal e fazer o download do PDF da edição 1178. Encontrará as fotos na pág. 5
Armindo Feliciano06-11-2014 às 15:23
Votação (0)
muito bôa tarde, como fazer para vêr ad fotos do defuntos?
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar