Login  Recuperar
Password
  18 de Maio de 2021
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Escolhas do Editor, Caldas / Economia, Óbidos
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Parque Tecnológico

Primeiro-Ministro inaugura edifícios centrais e considera Óbidos um exemplo a seguir

“Óbidos tem feito um trabalho espantoso e extraordinário ao longo destes anos. Teve génio, criatividade e ambição que permitiu projetos que têm vindo a atrair cada vez mais potencial. Tem vindo a distinguir-se entre os municípios e a gerar uma dinâmica extraordinária de crescimento e a acumular um capital que está patente na sua atratividade”. O elogio do Primeiro-Ministro, Passos Coelho, foi manifestado no passado sábado, na inauguração oficial dos edifícios centrais do Parque Tecnológico de Óbidos (PTO), uma obra apoiada pelo Mais Centro - Programa Operacional Regional do Centro, por fundos comunitários, no valor de mais de cinco milhões de euros.

14-07-2015 | Francisco Gomes

Os presidentes da Assembleia e da Câmara com o Primeiro-Ministro
[+] Fotos
Os presidentes da Assembleia e da Câmara com o Primeiro-Ministro
O Primeiro-Ministro considerou Óbidos um exemplo a seguir, sublinhando que “outros municípios podem, com apostas relevantes, fazer um caminho parecido”.
Passos Coelho realçou ainda o trabalho desenvolvido em Óbidos numa altura em que Portugal passava “por uma fase extremamente difícil”. No seu entender, Óbidos “não deixou de responder às dificuldades e preparou-se para o futuro”.
“O PTO foi semeado e desenvolveu-se num período em que muitos estavam concentrados apenas em resistir às dificuldades do presente”, referiu.
O governante cumprimentou “os que tiveram essa visão em Óbidos”, referindo-se em especial ao ex-presidente da Câmara Telmo Faria e ao atual presidente Humberto Marques, esperando que “outros municípios sejam contagiados por essa ambição e criatividade”.
Falando da economia nacional, o Primeiro-Ministro garantiu que “estamos em condições de poder tirar pleno partido das oportunidades que se nos oferecem dentro da Europa”, saudando o facto de estar “praticamente em funcionamento o fundo de Investimentos Estratégicos”, conhecido pelo ‘Plano Juncker’.
“Entre este plano e o Portugal 2020 temos muitas possibilidades dentro da zona Euro para que aqueles que sabem o que querem, e que não se distraem com acessórios, se possam preparar melhor para ciclos económicos menos favoráveis”.
Para isso, “é muito importante que não desperdicemos nenhuma das oportunidades”, defendeu Passos Coelho, para quem “o Estado tem de criar condições para o crescimento da economia portuguesa”, admitindo que o Estado tem de ser menos burocrático e “mais eficiente”. “Temos de nos concentrar muito em reformar o Estado, o suficiente para que, na sua relação com os cidadãos e as empresas, não seja um empecilho como ainda é, apesar das reformas importantes que fizemos”, declarou.
“Ainda há coisas que demoram demasiado tempo a decidir e a executar”, considerou Passos Coelho, adiantando que o Governo vai “reavaliar os procedimentos administrativos” para que estes não se arrastem no tempo e se tornem mais simples.

“Projeto ousado para empresas criativas”

O presidente da Câmara de Óbidos começou por dizer que a inauguração dos edifícios centrais do PTO é “um momento marcante para a vida do nosso concelho, iniciando uma trajetória de grandes desafios e oportunidades de desenvolvimento económico para qualquer setor de atividade”.
O autarca sublinhou que nos últimos dez anos “começámos por evoluir de uma estratégia de desenvolvimento muito centrada na agricultura e turismo para um modelo de verdadeira economia criativa, onde uma nova realidade de empresas se instalaram em Óbidos”.
Recordou que após a criação do PTO, as empresas perderam capacidade de investimento com a crise mundial, mas a autarquia “não esmoreceu” e lançou, em 2009, o ABC-Apoio de Base à Criatividade, incubadora de empresas no antigo convento de São Miguel, nas Gaeiras.
Humberto Marques aproveitou para falar de outras “inovações” em Óbidos: O Colab Óbidos, “um espaço de pequenos negócios”, o Espaço Ó, “onde pessoas e projetos criam algo verdadeiramente novo”, o Spin Lab, “pequenos laboratórios de garagem que permitirão a empresas e particulares investigarem e desenvolverem os seus protótipos de produtos e serviços com baixo investimento inicial, tirando partindo da competência técnica de pessoas com experiência”, e o Media Lab, “dirigido a freelancers da área dos novos media, onde um conjunto de equipamento estão disponíveis para o desenvolvimento dos seus projetos”.
A integração na rede INOV C, liderada pela Universidade de Coimbra, permite apostar “no empreendedorismo científico e tecnológico”.
O PTO “é um projeto ousado, porque apenas permite empresas da economia criativa no seu interior”, manifestou o presidente da Câmara.
Por outro lado, revelou Humberto Marques, “estamos a trabalhar, com a criação da DeCode Academy, que vai ter no PTO a sua primeira escola, testando modelos e conceitos que depois possam ser aplicados no novo modelo educativo municipal”.
O edil deixou um repto a Passos Coelho: “Portugal é um país que precisa de confiança em quem nele trabalha e de autonomia de cada entidade para pensar em novas soluções. Precisamos que um novo regime de incentivos seja pensado, gerando a atratividade para as empresas, que o Governo seja mais ousado do ponto de vista fiscal e que sejamos muito mais inovadores nas respostas que o país tem de encontrar para resolver o problema da falta de recursos humanos em áreas qualificadas”.
A inauguração dos edifícios centrais acontece num momento em que se encontram reunidas todas as condições para o acolhimento de novas empresas e desenvolvimento de mais projetos, tendo o edifício já uma taxa de ocupação na ordem dos 70 por cento.
Os edifícios centrais, com projeto do arquiteto Jorge Mealha, que venceu um prémio internacional, estão em funcionamento desde setembro do ano transato e contam, atualmente, com cerca de 60 empresas, metade delas fisicamente instaladas e as restantes em regime de escritório virtual, recebendo diariamente um total de perto de 100 pessoas que trabalham nas várias companhias.
Com uma área de 244.734 m2 na primeira fase e um total de 29 lotes para a construção de edifícios, é um parque orientado para as indústrias criativas e tecnológicas. A aposta assenta, essencialmente, na economia criativa aplicada às agrotecnologias, ao turismo, ao wellness e às TIC, tendo vindo a desenvolver diversos projetos nestas áreas e a estabelecer um conjunto de parcerias com empresas tecnológicas, produtores e distribuidores, no sentido de criar um verdadeiro centro de investigação e de competências a partir de Óbidos.
O PTO está também focalizado na criação de ferramentas para empreendedores, para ativar pessoas, garantindo apoio a ideias de negócio, desde a fase de idealização, até à prototipagem. É esse o objetivo do Spin Lab, que tem como missão ser um espaço de encontro da economia convencional com as novas tecnologias, através da sua oficina de hardware e mecatrónica (mecânica + eletrónica). Será dividido em três áreas: o Biolab, o Agrolab e um laboratório de mecatrónica. Está também contemplado o Media Lab, com recursos, para o desenvolvimento de produtos multimédia das empresas, da comunidade académica e do público em geral, tendo, ao mesmo tempo, os recursos básicos necessários para a criação de apresentações digitais de qualidade.
Assume-se ainda enquanto instrumento de inovação pública na área da Educação. São vários os projetos em desenvolvimento. O Laboratório de Educação Criativa surge nos edifícios centrais como uma plataforma colaborativa e dinâmica para empresas relacionadas com a área da educação, ou que pretendam desenvolver projetos nesta área.
Existindo uma estreita relação entre o PTO e as Escolas d’Óbidos, este laboratório permite às empresas apoio na pesquisa e no desenvolvimento de novas ideias. As empresas têm assim a oportunidade e o desafio de se afirmarem como fontes de inovação para o modelo educativo de Óbidos e, ao mesmo tempo, alimentarem-se deste processo para se diferenciarem num mercado altamente competitivo.
Um exemplo é o projeto My Machine, que surgiu em Kortrijk (Bélgica), através da Universidade de Howest, e é promovido, em Óbidos, pelo PTO, em parceria com a Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Leiria e a Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha, o Município de Óbidos e o Agrupamento de Escolas Josefa de Óbidos. O objetivo deste projeto é promover a criatividade na Educação, permitindo que as crianças concretizem as suas ideias através da construção das suas “máquinas”. Essas máquinas são soluções para resolver problemas do Mundo, da nossa sociedade, da nossa vida, ou da nossa aldeia, recorrendo à criatividade das crianças e à sua forma simples de encarar o mundo, juntando-lhe depois o conhecimento e a capacidade tecnológica de instituições de ensino superior e empresas do Parque Tecnológico. Na inauguração foram apresentadas a Passos Coelho máquinas criadas em Óbidos no âmbito deste projeto.
Outro projeto deste laboratório é o DeCode Academy. É um programa específico na área da programação, para crianças entre os 6 e os 12 anos. O objetivo é capacitar estas crianças com competências básicas na área da programação permitindo que, no futuro, sejam capazes de criar um jogo, uma aplicação ou interagir com robótica.
No PTO, as empresas podem centrar-se no seu know how e contar com o apoio dos centros de investigação e da expertise que se encontram nos vários institutos de ensino para completarem o seu projeto. É o primeiro parque do País a ter na entidade gestora duas universidades (Universidade de Coimbra e a Universidade Técnica de Lisboa), um politécnico (Instituto Politécnico de Leiria) e uma escola técnica (Escola Técnica de Imagem e Comunicação).

Manifestação à espera de Passos Coelho

À chegada de Passos Coelho ao PTO esperava-o uma manifestação de cerca de trinta elementos da União de Sindicatos do Distrito de Leiria, afeta à CGTP-IN (Confederação dos Trabalhadores Portugueses – Intersindical Nacional), que contestavam contra “o empobrecimento” do país e contra a municipalização do ensino (que Óbidos pretende implementar).
Se à entrada do PTO o Primeiro-Ministro não se apercebeu dos protestos, já que os manifestantes foram colocados pela GNR numa zona distante, à saída já ouviu as palavras de ordem, uma vez que mudaram de sítio.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar