Login  Recuperar
Password
  11 de Julho de 2020
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Bombarral
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Com uso de máscara e mantendo o distanciamento social

Populares protestam contra moradia junto a ermida

Várias dezenas de populares concentraram-se no passado domingo no Carvalhal, no concelho do Bombarral, para protestar contra a construção de uma moradia junto à Ermida da Nossa Senhora do Socorro, imóvel classificado de interesse público.

28-05-2020 | Francisco Gomes

Populares concentraram-se junto à ermida e à obra em construção
Populares concentraram-se junto à ermida e à obra em construção
Sob vigilância da GNR, com uso de máscara e mantendo o distanciamento social, foi assim a concentração de algumas dezenas de populares, para contestar a autorização de construção no perímetro de proteção.
“Está em causa um edifício do século XVI e não sabemos como foi autorizada esta obra. O património da aldeia histórica do Carvalhal está em causa”, manifestou Simão Cardeal.
João Ricardo declarou que “sempre ouvimos dizer que tinha uma área de proteção de 50 metros na envolvente, o que não está a ser respeitada”.
Para Cruz Oliveira, a construção ao lado da ermida “é uma desvalorização do património municipal e nacional e por isso qualquer pessoa se revolta”.
A Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) deu parecer positivo vinculativo ao projeto, condicionado à melhoria da visibilidade da capela e à realização de um diagnóstico de vestígios arqueológicos. A Câmara do Bombarral sustentou por isso não haver fundamento para impedir a construção.
Segundo Ricardo Fernandes, presidente da Câmara, “a partir do momento em que há um deferimento tácito da DGPC, que é quem tutela estas situações, o Município está impedido de fazer o quer que seja a não ser licenciar a obra”.
A autarquia entretanto embargou a obra “devido a movimentos de terras não licenciados em área de Reserva Ecológica Nacional”, que na prática visaram a construção de um muro em pedra para sustentar as terras.
A obra está parada, havendo uma indefinição quanto ao seu futuro.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar