Login  Recuperar
Password
  27 de Setembro de 2020
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Opinião
Gravar em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Ninguém morre por…

- Ninguém morre por não ter turistas ingleses!

18-07-2020 | Alberto Campos

- Ninguém pensa em transformar o excesso de cimento e de hotéis no Algarve em lares de idosos, hospitais, centros de saúde, centros de dia, infantários , creches, escolas e outros edifícios verdadeiramente úteis à população?
E os hotéis que ainda sobrarem, que serão demasiados, talvez seja mais conveniente que sejam destruídos e transformados em espaços verdes, pomares, hortas e florestas, procurando repor o Algarve que, há mais de meio século, conheci quase como um paraíso.
- Ninguém morre por ter os aviões em terra!
Os aviões são um dos grandes contributos para os elevados níveis de poluição do universo.
Sem esse tipo de turismo aliado a outras actividades desnecessárias, boa parte dos aviões poderão ficar em terra, beneficiando o nosso país e o planeta. Nem sequer virão a ser necessários os actuais e sucessivos desperdícios de milhões na TAP, e o já desnecessário futuro aeroporto.
- Ninguém morre por não passar férias fora de portas.
Façam-no cada um nos países onde vivem, aproveitando para os desenvolverem com base em princípios ecológicos, respeitando a natureza e o planeta. Em Portugal desenvolvam o interior com hotéis, restaurantes e actividades ecológicas, quero dizer – sem poluição e com o devido respeito pela natureza. E, no futuro, terão o consequente retorno financeiro.
Não precisamos de ingleses e de outros estrangeiros malcriados e cheios de cerveja, aos quais teremos de andar sempre “vergados”, carregados em aviões como sardinhas em lata.
Pensem agora no futuro! Aproveitem este momento único para o fazerem!
Pensemos num país mais virado para uma vida ecológica, só materialista no necessário e mais espiritualizado. Portugal é um dos únicos países da Europa com condições para tomar esse caminho.
Quando começarmos a conseguir respeitar a natureza e o planeta, (nossa casa apenas por alguns anos), poderemos dar um passo verdadeiramente progressista e com reflexos proveitosos no futuro.
E esse futuro? Façamos cada um a sua parte que, esse futuro, a Deus pertence!
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar