Login  Recuperar
Password
  4 de Agosto de 2020
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Regional
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Modernização da Linha do Oeste falha prazos

A Comissão para a Defesa da Linha do Oeste (CPDLO) denuncia que depois de ter sido falhado, em outubro de 2019, o lançamento do concurso para a obra de modernização do troço da Linha do Oeste, entre Torres Vedras e Caldas da Rainha, este continua sem ver a luz do dia, agora que estão decorridos quase nove meses sobre o prazo assumido, nas Caldas da Rainha, pelo secretário de Estado dos Transportes.

09-06-2020 |

Os prazos de execução das obras de modernização não vão ser cumpridos
Os prazos de execução das obras de modernização não vão ser cumpridos
“Entretanto, da obra do troço Meleças-Torres Vedras nem sinal. E se a pandemia da Covid-19 poderá ter contribuído para o atraso no arranque desta obra, o que é certo é que o confinamento só se verificou a partir de meados de março e até essa altura, nem uma pedra foi movida”, aponta a CPDLO.
Com isto, os prazos de execução das obras de modernização dos dois troços - o de Meleças-Torres Vedras, de 24 meses, para estar concluída no terceiro trimestre de de 2022 e o de Torres Vedras-Caldas da Rainha, de 781 dias, para estar concluída também no terceiro trimestre de 2022 – “estão claramente hipotecados”.
A CPDLO considera todos estes atrasos “da maior gravidade para o futuro da Linha do Oeste”. “Os anos e anos de esquecimento e abandono a que foi votado este eixo ferroviário pelos sucessivos governos, deixaram marcas quase irrecuperáveis no serviço público de transporte ferroviário de passageiros e mercadorias nas regiões servidas pela Linha do Oeste”, lamenta.
“Marcas que impõem uma intervenção urgente no sentido da modernização de toda a Linha do Oeste, nomeadamente da sua electrificação entre Meleças e Louriçal”, defende.
Por outro lado, “passou meio ano e os descontos para 2020 nos passes dos transportes ferroviários, acordados entre a CP, a Comunidade Intermunicipal do Oeste e a Área Metropolitana de Lisboa, continuam por pôr em prática na Linha do Oeste”.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar