Login  Recuperar
Password
  14 de Novembro de 2019
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Escolhas do Editor, Desporto, Óbidos
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Lagoa de Óbidos - um dos melhores locais para aprender kitesurf em Portugal

A Lagoa de Óbidos oferece excelentes condições para a prática de Kitesurf devido à sua extensão, ótimas condições de vento, segurança e águas protegidas. É mundialmente conhecida e considerada por muitos instrutores, especialistas e praticantes como o melhor local para a aprendizagem desta modalidade.

04-09-2019 | Marlene Sousa

Lagoa de Óbidos oferece excelentes condições para a prática de Kitesurf
[+] Fotos
Lagoa de Óbidos oferece excelentes condições para a prática de Kitesurf
Deslizar sobre as águas ao sabor do vento garante muito divertimento e bons momentos de descontração com a prática de kitesurf. A Lagoa de Óbidos é considerado por muitos instrutores especialistas e praticantes o melhor local para a aprendizagem e prática de kitesurf.
Há várias escolas a ensinar este desporto náutico na Lagoa, na margem norte (Caldas da Rainha) e margem sul, (Óbidos).
O JORNAL DAS CALDAS falou com três escolas de kitesurf na Lagoa de Óbidos, que ensinam todos os anos mais de 400 pessoas a fazer kitesurf. Em julho, agosto e setembro, é quando há mais praticantes desta modalidade que tem o custo de cerca de 30 a 50 euros por hora.
É proibido fazer kitesurf na parte da praia da Lagoa durante a época balnear (15 de junho a 15 de setembro), devido à segurança dos banhistas.

Escola de Vela
da Lagoa

Situada na margem Norte da Lagoa de Óbidos, entre as vilas da Foz do Arelho e do Nadadouro, a Escola de Vela da Lagoa dedica-se desde 1997 ao ensino e à prática da vela em diversas modalidades: Windsurf, Catamaran, Kitesurf, Optimist, Paddleboard, canoagem e ainda ski náutico e wakeboard. Todos os cursos tem incluídos o equipamento.
Philippe e Isabel Dabadie, responsáveis pela Escola de Vela, destacaram as ótimas condições da Lagoa para a pratica de kitesurf. “É um lugar muito seguro que proporciona o ensino, porque conseguimos trabalhar com segurança máxima”, disse, Philippe Dabadie que é Instrutor de kitesurf FPV (federação Portuguesa de Vela).
Segundo este responsável o período de mais afluência do Kitesurf na Lagoa inicia em março e termina em setembro ou outubro, dependendo do tempo. A altura do inverno está muito frio, e regra geral os “praticantes não aguentam a temperatura muito baixa”. No entanto se as condições meteorológicas foram favoráveis temos alunos o ano todo”, adiantou, Philippe Dabadie.
Para fazer Kitesurf este responsável aconselha, “motivação e dedicação”, mas o essencial é o vento. “Se não houver vento não podemos realizar a lição”, sublinhou, revelando que por ano tem cerca de150 alunos. Da primavera a outono é “mais para as pessoas que estão a aprender”. Durante o ano todo “é para os velejadores e praticantes”, apontou, acrescentando que é um desporto desafiante para todas as idades. “Para crianças com mais de 45 quilos, temos cursos mais leves, que ficam agarrados aos instrutores com uma trela de fora aprender a manobrar e navegar o kite”, referiu, o responsável, revelando que tem alunos com 60 anos.
A Escola de Vela da Lagoa tem três instrutores profissionais de kitesurf licenciados e certificados.
Philippe Dabadie destacou a afluência de alunos estrangeiros de kitesurf, referindo que há quatro anos que se nota um grande crescimento do turismo na região Oeste.
Depois de uma aula de kitesurf na Escola de Vela, Larisse Denis e Moxence Snoy, naturais da Bélgica, ficaram fascinados com a modalidade e com a Lagoa. “Foi a segunda vez que fiz kitesurf e adorámos a experiência e a lagoa é um local espetacular”, disseram ao JORNAL DAS CALDAS o casal que está a passar férias em casa dos pais de Moxence Snoy, que vivem no Nadadouro.

Escola Kite
Control Portugal
no Bom Sucesso

François Berk, natural da Bélgica, dedica a sua vida à prática e ao ensino do Kitesurf na zona sul da Lagoa, do lado de Óbidos, na praia do Bom Sucesso (segura devido à sua ampla área arenosa).
Esta paixão nasceu em 2015 quando pela primeira vez fez kitesurf na Lagoa e sentiu o prazer da força e a velocidade do vento. Em maio de 2016 abriu a sua escola “Kite Control Portugal” no Bom Sucesso, onde os alunos marcam através das redes sociais e site. O ponto de encontro é junto à lagoa no final de uma estrada de areia, acessível com qualquer veículo. É aí que numa carrinha com o equipamento e uma equipa de quatro a oito instrutores qualificados e certificados que se encontra com os seus alunos, nomeadamente de abril a final de outubro. Também há vento no inverno, mas há menos turistas e também precisa de uma pausa para voltar à Bélgica. Os instrutores são portugueses, espanhóis, italianos, com o objetivo de poderem falar com os alunos que 90% são estrangeiros.
“As águas profundas da cintura, tornam este local o mais adequado para a progressão de iniciantes que aprendem a fazer kitesurf”, disse, François Berk, acrescentado que “o interior da lagoa oferece ótimas condições de kitesurf. A nortada (vento norte que sopra na costa oeste de durante o verão) é reforçada pelas colinas da região”.
A estrutura da escola Kite Control é uma carrinha. “Não temos um espaço porque esta é uma zona protegida, transportamos todos os dias todo o equipamento, o nosso barco de apoio está na água e quando terminamos, levamos tudo connosco, até o lixo porque deixamos tudo limpo e não estragamos nada”, referiu, o responsável que todos os anos tem mais de cem alunos.
O instrutor disse ao JORNAL DAS CALDAS que o ideal era o Município de Óbidos colaborar com as escolas de Kitesurf naquela localidade e colocar sanitários portáteis, um duche de praia e um bar ou roulotte de apoio com café. “Quero marcar uma reunião com o presidente da Câmara de Óbidos, para tornar o espaço mais confortável para os turistas e pessoas que trazemos cá”, salientou, revelando que trazem muitos turistas que pernoitam no Bom Sucesso e vão aos restaurantes locais. “Recomendamos aos alunos os restaurantes na zona, e damos mais dinâmica à zona”, adiantou, sublinhando que são a favor da proteção do ambiente e só trabalham com “o vento”.
François Berk, destacou a beleza da Lagoa, revelando que também oferece outras atividades, como bicicleta de montanha.
“As pessoas adoram a Lagoa, e ficam fascinadas com o seu potencial de desportos aquáticos, e ficam deliciadas com os sabores da Lagoa (ameijoa, robalo) que é um misto de tudo”, disse, João Vergílio, da Nazaré, instrutor da Escola Kite Control. Também este profissional de Kitesurf, considera que faz falta um “apoio de praia com sanitários”.

West Kiteboarding School

O JORNAL DAS CALDAS falou também com Sílvia Henriques, responsável pela West Kiteboarding School, que abriu em 2012. Também esta escola aceita marcações na Internet e nas redes sociais e se desloca numa carrinha para a margem sul da Lagoa no Bom Sucesso. Trabalha com um instrutor qualificado, Nelson Dias que dá aulas de kitesurf durante o ano inteiro. Todos os anos tem cerca de 100 alunos. No verão 90% são estrangeiros e de inverno são mais portugueses que praticam a modalidade.
Segundo, a responsável, “o Kitesurf na Lagoa de Óbidos “é o local ideal para a aprendizagem deste desporto aquático porque tem água lisa e pela cintura o que facilita a quem está a ensinar”.
Também defende sanitários portáteis e uma estrutura de apoio, mas só na condição do “Município conseguir fazer manutenção do espaço, limpando as casas de banho e tirar o lixo com mais regularidade”. “Aqueles dois caixotes de lixo ficam cheios e algum com o vento vai para a Lagoa, sou eu que muitas vezes levo os sacos para o lixo”, apontou, revelando que não há muita “supervisão”. “No dia 31 de agosto estiveram cerca de 50 kites dentro da água e essas 50 pessoas trazem companhia, o que trouxe aqui cerca de 200 pessoas e não há casas de banho”, apontou.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar