Login  Recuperar
Password
  17 de Agosto de 2018
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Desporto
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Atleta de A-dos-Negros no campeonato do mundo de combate medieval

Teve lugar entre 10 e 13 de maio mais um campeonato do mundo de combate medieval, pelas regras da IMCF - International Medieval Combat Federation. Este ano, o país anfitrião foi a Escócia e a competição teve lugar no espaço do palácio de Scone.

17-05-2018 |

Maurício Ramos, armadurado em Scone Palace
Maurício Ramos, armadurado em Scone Palace
Portugal fez-se representar por um combatente, Maurício Ramos, capitão da equipa de combate medieval do Oeste, os Cavaleiros da Torre e residente em A-dos-Negros, Óbidos.
Maurício Ramos dispôs-se a defender as cores da bandeira nacional, na categoria de duelos com arma de haste, neste desporto de combate, cujas origens remontam à Idade Média e visualmente muito apelativo.
O combatente nacional defrontou-se com problemas inesperados, logo no início da competição, pois ao chegar à capital escocesa foi surpreendido com o facto de a companhia aérea onde viajou, durante a sua escala em Londres, não ter efetuado de um avião para o outro o devido transbordo da sua bagagem, onde continha parte da sua armadura, a cota de armas nacional e até a bandeira de Portugal.
Ao ser chamado à liça para defrontar o seu primeiro oponente, o combatente oriundo da Argentina, não possuía a totalidade do seu equipamento para poder combater. Valeu-lhe a solidariedade de combatentes de outros países presentes no local, que o tentaram socorrer emprestando algumas das suas peças. A dificuldade de encontrar peças de armadura adequadas ao seu tamanho, e ajustar as mesmas, fez com que Maurício Ramos fosse desclassificado no primeiro combate previsto, por ter excedido o tempo concedido pelos regulamentos para se apresentar na liça. Em seguida Maurício Ramos defrontou o combatente da Nova Zelândia, saindo vitorioso do confronto e por fim defrontou o combatente australiano, que venceu o combatente nacional, terminando assim a prestação de Maurício Ramos neste campeonato mundial.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar