Login  Recuperar
Password
  24 de Outubro de 2018
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Escolhas do Editor, Caldas / Sociedade
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Esperança na resolução dos três problemas crónicos das Caldas: Hospitais, Linha do Oeste e Lagoa

A sessão solene do feriado municipal das Caldas da Rainha, ponto alto das celebrações, decorreu no dia 15 de maio no Centro Cultural e Congressos (CCC). Neste dia também se assinalaram os dez anos do CCC, que tem sido um “veículo da cultura”.

17-05-2018 | Marlene Sousa

Sessão solene do Feriado Municipal
Sessão solene do Feriado Municipal
A ocasião ficou marcada pelo habitual discurso do presidente da Câmara, que anunciou a aprovação da passagem do Centro Hospitalar do Oeste (CHO) a entidade pública empresarial (EPE).
Tendo colocado em 2017 uma meta de seis anos para resolver os problemas crónicos que há décadas ensombram o futuro do concelho, o presidente da Câmara sublinhou que continuam com “folga no cumprimento dos prazos para contribuir para a “salvação e usufruto do património termal, a requalificação da Linha do Oeste e o desassoreamento da Lagoa”.

O Conselho de Ministros aprovou no passado dia 10 a passagem do Centro Hospitalar do Oeste (CHO) a entidade pública empresarial (EPE), uma medida defendida pelo Município das Caldas da Rainha. O que para o presidente da Câmara é fundamental é que essa passagem a EPE seja “constituída com capital social em dinheiro”, e não “instituída em património”, porque se assim for “não haverá verbas para proceder à necessária requalificação dos equipamentos”.
Foi uma das novidades anunciadas por Tinta Ferreira no seu discurso na sessão solene do feriado municipal, que teve lugar a 15 de maio, no CCC.
Tendo colocado no ano passado uma meta de seis anos para resolver os problemas crónicos que há décadas ensombram o futuro do concelho, o presidente da Câmara sublinhou que continuam com “folga no cumprimento dos prazos para contribuir para a “salvação e usufruto do património termal, a requalificação da Linha do Oeste e Lagoa de Óbidos”.
No que respeita ao desassoreamento da Lagoa de Óbidos, referiu que obtiveram a informação de que “haverá condições para abrir o concurso de desassoreamento dos braços da Barrosa e Bom Sucesso até julho e a obra será concluída até à primavera de 2020”.
No que concerne ao património termal destacou três projetos diferentes. Um deles é a reabilitação do Parque D. Carlos I e a Mata Rainha D. Leonor, de modo a que “pudéssemos ser novamente usufruídos pelos caldenses e por quem nos visita”.
O segundo projeto trata-se da reabertura dos tratamentos no Hospital Termal, que será feita de forma faseada. O autarca anunciou que estão em vias de conclusão as obras “de requalificação e preparação do Balneário Novo” e está em “apreciação na Assembleia Municipal a proposta de protocolo de colaboração com o Montepio Rainha D. Leonor, que vai permitir pôr em prática o modelo de gestão do Hospital Termal”. Depois de obter o visto e as devidas autorizações projeta-se “iniciar até ao final do ano a abertura faseada dos tratamentos termais com inalações”.
O terceiro projeto é o usufruto do património termal, que corresponde ao aproveitamento dos Pavilhões do Parque e Casino para hotel. Disse o presidente da Câmara que está previsto para “junho ou julho a entrega do projeto para obtenção da respetiva licença”, que terá que ter o “parecer favorável da Direção Geral do Património Cultural e aprovação da Câmara, que naturalmente não deixará de consultar a Assembleia Municipal”. Obtida a licença, a obra poderá ter o seu início, devendo estar concluída até dezembro de 2020.
Quanto à requalificação e eletrificação da Linha do Oeste, “os projetos estão em curso e a sua execução está prevista ser concluída até 2021”. Embora não dependendo do Município, Tinta Ferreira sublinhou que tem “dado a cara na reivindicação da necessidade urgente desta obra”.
O autarca anunciou que será construída no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) uma “nova ponte pedonal junto à estação”. “Da sua localização, a definir pela REFER - Rede Ferroviária de Alta Velocidade vai depender da construção de um silo auto fundamental para dar resposta aos utentes futuros do comboio”, contou.
Tinta Ferreira destacou os eventos de impacto regional, nacional e internacional, que têm sido fundamentais para valorizar a dinâmica e atratividade do concelho. O número de dormidas passou de 60 mil para 160 mil em seis anos e “ainda não reabrimos o Hospital Termal”, afirmou.
O autarca referiu ainda algumas das obras de relevo que estarão em curso até ao próximo 15 de maio, como a nova Unidade de Saúde Familiar de Santo Onofre, onde a autarquia deliberou novo concurso com o preço base de um milhão e setecentos euros.
A esperada Rotunda dos Queridos vai ser construída na estrada de Tornada, no cruzamento do Coto e do Campo, com o objetivo de aumentar a segurança rodoviária daquele cruzamento que tem um grande fluxo de trânsito.
A requalificação da Escola Encosta do Sol, o Teatro da Rainha, obras de melhoramento do Centro de Juventude, a reabilitação urbana na Capitão Filipe de Sousa, Sangreman Henriques, Rua do Montepio, Heróis da Grande Guerra até aos correios e ainda rua 31 de janeiro, foram, entre outras, obras destacadas pelo autarca.

“Jogadores do Caldas são nossos embaixadores”

O presidente da Câmara fez referência ao décimo aniversário do CCC. “Um equipamento marcante para o concelho e para a região concretizado pelo então presidente Fernando Costa com a colaboração da vereadora Maria da Conceição”.
O presidente da Assembleia Municipal, Lalanda Ribeiro, iniciou o seu discurso da sessão solene assinalando também o décimo aniversário do CCC, recordando o grande investimento, mas que tem “cumprido os objetivos para quais foi idealizado”. “Tem sido um veículo de cultura, com inúmeros eventos de natureza local, regional e nacional”, frisou.
Recordou os novos desafios para as autarquias com a transferência de competências, que pode “trazer problemas em termos de verbas para os novos encargos”.
Fez referência aos homenageados caldenses que se notabilizaram pessoal e profissionalmente e que levam o nome das Caldas para os vários cantos do mundo e que sirvam de “exemplo para gerações futuras”.
Enalteceu também a equipa do Caldas Sport Clube, que recebeu a medalha de mérito desportivo pela sua prestação na Taça de Portugal. “Uniu a cidade numa onda de apoio e são de certo os nossos embaixadores”, sublinhou, Lalanda Ribeiro. A cerimónia iniciou com a atuação do BCI Wind Group (direção de Adelino Mota).
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar