Login  Recuperar
Password
  14 de Agosto de 2018
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Caldas / Sociedade
Gravar em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Urgências de Peniche e Alcobaça não fecham

27-10-2011 |

O director clínico do Centro Hospitalar Oeste Norte (CHON), Nuno Santa Clara, garantiu que as urgências do Hospital de Peniche e de Alcobaça não vão encerrar, apesar de terem sido divulgadas notícias nesse sentido. “O conselho de administração do CHON não tem nenhuma indicação, nem orientação da tutela em relação a encerramento ou diminuição de actividade, seja em que serviço for. Não está nas intenções desta direcção clínica propor o encerramento ou diminuição de actividade seja em que área for”, disse. Fala-se nas redes sociais e o autarca de Peniche já pediu uma reunião à tutela, que uma das fundamentações para o encerramento das urgências é a contenção orçamental, porque alegadamente será mais barato encerrar, numa primeira fase, as urgências nocturnas destes hospitais, ficando apenas as urgências das Caldas em funcionamento, não havendo duplicação de recursos, face ao fluxo de urgências nocturnas em Peniche e Alcobaça. “Não tenho contas feitas, nem creio que elas sejam factor decisivo. É natural que teremos de olhar para custos, mas enquanto director clinico compete-me defender a qualidade dos serviços prestados. É-me difícil falar em caro e barato quando está em causa a saúde das pessoas”, disse. O director clínico comentou também o facto de alguns equipamentos das unidades de Caldas, Peniche e Alcobaça estarem avariados e consequentemente sem realizar exames, o que leva à transferência de muitos doentes. “Nós somos iguais a todos os hospitais do país. Há equipamentos que estão mais envelhecidos e carecem de reparações regulares e temos outros que são recentes. Mas o que interessa é saber se a segurança do doente está ou não em risco. E isso compete aos profissionais de saúde garantir que não está”, sustentou. Por existirem situações de aparelhos avariados e que levam à transferência de doentes para serem realizados exames, Nuno Santa Clara referiu que “se existe um exame que não é possível realizar no CHON e que é necessário fazer noutro lado, transfere-se para onde for preciso”. O responsável garantiu que ainda este ano vai ser instalado o aparelho TAC.   Carlos Barroso
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar