Login  Recuperar
Password
  21 de Novembro de 2019
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Escolhas do Editor, Caldas da Rainha, Caldas / Política
Gravar em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Filas extensas na Escola Bordalo Pinheiro

Eleitores que votaram no domingo na Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro, nas Caldas da Rainha, queixaram-se de terem de enfrentar longas filas, numa secção onde o número de mesas de voto foi reduzido de treze para dez. Alguns eleitores desistiram e voltaram mais tarde, para nova espera. Outros optaram por não votar.

09-10-2019 | Marlene Sousa

A maior afluência às urnas foi das 10h30 às 12h30 e das 15h30 às 17h00, onde o corredor do edifício da escola onde estavam salas chegou a congestionar, com as diferentes filas a juntarem-se. Há registos de eleitores que esperaram mais de meia hora pela sua vez.
Contatado pelo JORNAL DAS CALDAS, o presidente da União das Freguesias Nossa Sr.ª do Pópulo, Coto e São Gregório, Vítor Marques, sublinhou que o problema se deveu à lei eleitoral para a Assembleia da República que, no seu artigo 40 e numa revisão feita há um ano, veio dizer que as mesas de voto eram organizadas por sensivelmente 1500 eleitores. Daí resultou a diminuição para 10 salas e cada uma com 1452 eleitores.
Segundo o autarca, a outra situação que causou congestionamento foi o facto de os cadernos eleitorais deixarem de ter número de eleitor e passarem a ser por ordem alfabética. “Houve alguns problemas com as pessoas que não sabiam qual a sua mesa de voto, mas o problema maior foi no ato de votar, onde os elementos da secção levaram mais tempo a encontrar o nome da pessoa”, explicou Vítor Marques.
O presidente da União de Freguesias deu a cara às várias reclamações e tentou ajudar a minimizar o problema.
Vítor Marques revelou que já reuniu com o Município para fazer um balanço da ocorrência e que para as próximas eleições decidiram manter os votos na Escola Rafael Bordalo Pinheiro, mas espaçando com intervalos as secções de votos. “As secções vão também ser melhor identificadas”, adiantou o autarca.
Outra hipótese, mas que não é defendida por Vítor Marques, é mudar as mesas de votos para o Pavilhão Desportivo da Escola Rafael Bordalo Pinheiro.
A situação foi também denunciada pelo porta-voz do Bloco de Esquerda das Caldas da Rainha, Arnaldo Sarroeira, que disse que “a redução do número de mesas de voto e o facto dos cadernos eleitorais passarem a estar organizados dentro de cada freguesia ou posto de recenseamento, por ordem alfabética dos nomes dos eleitores, acabou por gerar filas que nunca mais acabavam e grandes confusões”.
Além disso fez notar que “existem grandes dificuldades ao nível do analfabetismo e iliteracia da população”.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Escolhas do Editor
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar