Login  Recuperar
Password
  21 de Outubro de 2020
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Desporto, Regional
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Equipa de combate medieval de Óbidos participa em torneio em Espanha

Uma das poucas equipas nacionais da modalidade desportiva de combate medieval - Cavaleiros da Torre, cuja sede de treinos se situa em A-dos-Negros, em Óbidos, e cujos vários elementos são residentes no concelho, vai estar presente em mais um torneio internacional, desta vez dias 12 e 13 de dezembro na localidade de Belmonte (Cuenca) – Espanha. Estará representada por duas combatentes femininas, um combatente masculino e um árbitro.

02-12-2014 | Francisco Gomes

Os combates são mesmo a sério, controlados por árbitros
Os combates são mesmo a sério, controlados por árbitros
É uma modalidade de combate, como o boxe ou o karaté, e baseia-se historicamente nos torneios que aconteceram por toda a Europa Medieval, onde cavaleiros a título individual ou em grupos, se defrontavam pela glória e também pelos prémios.
Embora com poucos anos de existência e prática em Portugal, a modalidade na sua versão moderna já é praticada há mais de dez anos em outros países, tendo o impulso à sua divulgação partido de países como a Rússia e a Ucrânia. O combate medieval não é uma animação com combates fingidos para entretenimento do público em feiras e mercados medievais. Os combatentes confrontam-se equipados com réplicas de armaduras medievais, com normas estipuladas no que se refere a espessuras de aço, ao tipo de armas admitidas (rombas e com pesos e dimensões estipulados) e os objetivos podem passar por colocar o adversário no chão ou acertar-lhe marcando pontos. Tudo com alguma "agressividade" inerente à modalidade, mas com segurança e diversão para quem pratica, e controlada por árbitros.
“A equipa dos Cavaleiros da Torre conta com combatentes de ambos os sexos e tem experiência em campeonatos do Mundo e torneios internacionais, trazendo já para Portugal boas classificações e algumas medalhas”, indica Alexandra Duarte, a vice-capitã.
O seu brasão - a torre e a água - simboliza os muitos castelos que foram erguidos na região Oeste durante a Idade Média e a proximidade da região com o mar.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar