Login  Recuperar
Password
  21 de Junho de 2018
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Escolhas do Editor, Peniche
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Deixe o seu animal de estimação no “Dog Hostel” e vá de férias descansado

Hotéis para cães é um serviço cada vez mais procurado e agora já não é necessário implorar a alguém para cuidar do seu cão. A solução está mais perto do que imagina, com o “Dog Hostel”, que abriu portas em Peniche há poucas semanas. Este estabelecimento maném as convenções de um hotel tradicional - deve ligar e fazer reserva, escolher o tipo de acomodação e serviço para o animal. Há opções diárias, semanais, mensais e de fim-de-semana. Deste modo, o pacote é totalmente personalizado às necessidades do cão.

07-03-2018 | Mariana Martinho

Hélène Duarte, proprietário do “Dog Hostel” em Peniche
[+] Fotos
Hélène Duarte, proprietário do “Dog Hostel” em Peniche
Este conceito surgiu pelas mãos da proprietária, Hélène Duarte, de 28 anos, que atirou-se “de cabeça nesta aventura”. Depois de passar pelo curso de artes e posteriormente de marketing, a jovem decidiu mudar de área e dedicar-se aos “amigos de quatro patas”. Começou por trabalhar numa clinica, como auxiliar de veterinária em Peniche e aí apercebeu-se que “faltava um espaço para deixar os animais” ou “alguém que pudesse ficar com eles durante o dia”.
Começou por passear um ou dois cães, duas vezes por semana, até que o número de pedidos começou a aumentar. Foi nesse momento que Hélène Duarte pensou “porque não dedicar-me só a eles?”. Deixou o seu emprego e lançou-se no negócio.
“Depois de passar pelo Dog walking ao Pet sitting, finalmente construí o Dog Hostel Peniche, o 1° Hotel Canino em Peniche”, frisou a jovem, que demorou três anos para conseguir concretizar “um sonho”.
Desde as idas a casa, aos longos passeios pelo campo, passando até por atividades de tempos livres, como idas à praia, o Dog Hostel tem à disposição do cliente opções variadas. Além disso, o hostel tem serviço de transporte. É só agendar e o hostel vai buscar o seu patudo a casa com todas as mordomias a que tem direito.
"O conceito é simples: garantir a maior liberdade possível, e em ambiente social, ao animal”, sublinhou a jovem.
O Dog Hostel Peniche proporciona ao animal um enquadramento acolhedor, com a missiva de garantir a maior liberdade possível e em ambiente social, vai brincar com outros cães e literalmente gozar um período de férias.
As habitações são em espaço coberto, individuais e personalizadas, ou seja uma “espécie de creche para cães”, com cancelas de madeira “para fugir aos padrões habituais dos canis”. Dispõe de espaço verde comunitário de 900 metros quadrados, para o cão brincar, entrar em contato com a natureza e gastar energia, multiplicando os benefícios de passeios na rua e diminuindo significativamente níveis de ansiedade, hiperatividade e até depressão, tornando o patudo mais relaxado, saudável e feliz.
Existe ainda um espaço de 1000 metros quadrados que posteriormente vai ser equipado com piscina e campo de treinos.
"O Dog Hostel Peniche é resposta a um serviço inexistente até então. Temos clientes da Covilhã simplesmente por garantirmos liberdade ao animal”, sublinhou a jovem proprietária, que está sempre “preocupada em proporcionar momentos de pura felicidade aos patudos”. Contudo, admitiu que “isto dá imenso trabalho e não é nada fácil, pois sou só eu. Vou buscar e pôr, faço socialização e ajudo cães a desbloquear alguns problemas”.
Apesar de estar mais vocacionado para cães, a ideia da jovem é no futuro também receber gatos, com um gatil.
A proprietária não permite contato de um novo animal com os restantes sem ser feito diagnóstico psicológico a fim de aferir a forma de ser feita integração e socialização do animal, e dessa forma tomar as devidas precauções para situações descontroladas.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar