Login  Recuperar
Password
  14 de Julho de 2020
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Peniche
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Dados científicos podem permitir aumentar pesca da sardinha

A pesca da sardinha em Portugal vai ser reaberta a 1 de junho e decorrerá até 31 de julho com o limite de descargas de capturas com a arte de cerco de 6.300 toneladas, que corresponde a um total ibérico de 9.500 toneladas.

24-05-2020 | Francisco Gomes

É exigida que a quota para 2020 seja de 30.000 toneladas (foto Carlos Tiago)
É exigida que a quota para 2020 seja de 30.000 toneladas (foto Carlos Tiago)
Para a Associação Nacional das Organizações de Produtores da Pesca do Cerco (Anopcerco), com sede no porto de pesca de Peniche, “esta limitação assume um caráter meramente indicativo”, tendo em conta os dados divulgados pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera no passado dia 22, que segundo a associação “permitem assegurar a possibilidade de, em 2020, serem capturadas mais de 30.000 toneladas de sardinha pelas frotas de Portugal e de Espanha”.
Os dados científicos sobre a campanha Pelago 2020 realizada pelo navio de investigação Miguel Oliver permitem, de acordo com a Anoperco, chegar a conclusão de que “já está atingido o principal objetivo do Plano Plurianual de Gestão e Recuperação do Stock de Sardinha Ibérica (2018-2023)”, que era “alcançar um total de biomassa de sardinha com mais de um ano nas águas atlânticas da Península Ibérica de 269.958 toneladas no início de 2023”.
“Para o ano de 2020, os dados agora divulgados da campanha Pelago 2020 apontam, para essa mesma área, um total de 385.202 toneladas de biomassa de sardinha com mais de um ano”, referiu a Anopcerco, que apontou que “os sacrifícios feitos pelo setor nos últimos cinco anos deram resultado”.
“Esperamos que a comunidade científica liderada pelo IPMA e o nosso governo promovam com rapidez e com clareza a qualidade dos dados agora divulgados, por forma a eliminar de uma vez por todas o conjunto de teses catastrofistas que foram largamente difundidas e que se encontram totalmente desajustadas da situação atual do recurso sardinha ibérica nas águas atlânticas”, manifestou a Anopcerco.
A Federação dos Sindicatos do Sector da Pesca sustentou que “a dimensão dos sacrifícios que foram feitos até agora por parte dos pescadores não pode ser ignorada, exigindo-se que sejam respeitados e valorizados”.
“Os resultados das pesquisas, demonstram quanto o governo estava errado, impondo restrições de captura muito para além do que seria aceitável, numa perspectiva da sustentabilidade do recurso sardinha. Exige-se, o que é sustentável, que a quota para 2020 seja de 30.000 toneladas”, defendeu.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar