Login  Recuperar
Password
  31 de Maio de 2020
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Opinião
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Olhar JSD

Conquistar o presente, antecipar o futuro

A geração mais bem preparada de sempre não será a geração mais precária de sempre? Os jovens portugueses que nasceram na década de 90 viveram praticamente toda a sua vida num país em crise. Desde o pântano de Guterres, à tanga de Barroso, à bancarrota de Sócrates e à (inevitável) austeridade da Troika, que não faltaram barreiras a atravessar-se no caminho destas e destes portugueses. A geringonça trouxe consigo a suposta reposição de rendimentos e de direitos, não tendo faltado quem reclamasse os seus direitos adquiridos, desde funcionários públicos a reformados. Mas os jovens nada reclamaram, nada exigiram…nada! Sabem porquê?! Porque nunca lhes tinha sido dado ou garantido nada. Estes jovens que representam a geração mais bem preparada de sempre têm conquistado tudo a pulso, com o seu mérito, com o seu trabalho. Aceitando trabalhar, muitas vezes, com baixos vencimentos, aceitando trabalhar em áreas que nada tem que ver com a sua formação, aceitando abandonar o país, em troca de um trabalho melhor pago.

03-01-2020 |

João Antunes dos Santos Presidente da JSD Distrital de Leiria
João Antunes dos Santos Presidente da JSD Distrital de Leiria

É importante que a sociedade e os decisores políticos percebam que estão a descurar o futuro, ao não acarinhar e ao não criar condições para que os portugueses mais novos possam dar o melhor de si em prol do país. Mas os jovens também têm de fazer a sua parte, fazendo-se ouvir. É aí que entram as juventudes partidárias, as associações juvenis, as associações de estudantes, que têm o dever de dar esperança a todos os jovens, mostrando-lhes que vale a pena envolverem-se na sociedade e na política. E isso só se consegue com proximidade, diálogo e bons exemplos. 

Se no presente os jovens têm de bater o pé e conquistar o espaço que é seu por direito, no que respeita ao futuro, têm de o construir hoje, têm o dever de antecipar o futuro! Antecipar o futuro é discutir hoje todos os temas da sociedade, desde a educação, à saúde e bem-estar, ao ambiente, à segurança social, à legislação laboral, à integração europeia, aos direitos, liberdades e garantias, tudo! Tudo são temas de juventude, tudo são temas que os jovens devem pensar e projetar a médio e longo prazo.

O ser humano é racional e é inteligente, daí que ao longo de milhares de anos o mundo tenha sistematicamente evoluído, porque o ser humano teve sempre o rasgo suficiente para perceber que o futuro depende sempre das decisões do presente. Homens e mulheres que, muitas vezes, prejudicando o seu presente, tiveram o altruísmo de tomar decisões que afetariam positivamente os seus filhos, os seus netos, os seus bisnetos… 

Cabe aos jovens de hoje, mais do que preparar a sua velhice, preparar aquilo que será a vida dos seus filhos e dos seus netos, para que não lhes aconteça a eles o que nos aconteceu a nós: herdar um país hipotecado, em que o presente serve para pagar os erros do passado, quando devíamos estar todos a construir um futuro melhor. Só porque alguém ignorou o conceito de solidariedade intergeracional.  


João Antunes dos Santos

Presidente da JSD Distrital de Leiria

Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar