Login  Recuperar
Password
  31 de Maio de 2020
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Opinião
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Caldas da Rainha na Rede de Cidades Interculturais

A diversidade cultural é um dado real e atual das nossas sociedades, onde se entrelaçam vários intervenientes que carregam em si, como traço intenso e inolvidável, uma grande desigualdade. Dentro deste contexto assumidamente multicultural, por forma a criar ambientes de entendimento, de estima recíproca, de coesão e de enriquecimento social e económico, a ligação entre os diversos grupos já não pode bastar-se com a simples constatação ou aceitação da sua existência mútua. Deve, isso sim, basear-se no princípio da interculturalidade, onde, sem aniquilamentos nem imposições, para além do acolhimento das diversas culturas, se apela para a transformação recíproca que o encontro entre elas pode originar, num processo contínuo de reinvenção da nossa identidade cultural coletiva.

26-12-2019 |

Isabel Alves Pinto
Isabel Alves Pinto

Neste contexto de evidente multiculturalismo, com o propósito de auxiliar na gestão das diferenças e a convertê-las em riqueza, tanto para os grupos minoritários como para as comunidades onde esses grupos se inserem, o Conselho da Europa instituiu, em 2008, a Rede Europeia de Cidades Interculturais (RECI).

Atualmente, a RECI reúne, no conceito de interculturalidade e nas suas múltiplas iniciativas, mais de cem urbes, tanto europeias como do resto do mundo. 

Qualquer metrópole, desde que cumpra os valores universais defendidos pelo Conselho da Europa, como sejam o respeito pela igual dignidade de todos os indivíduos, pelos direitos humanos, pelo Estado de Direito e pelos princípios democráticos, poderá solicitar a integração neste grupo. São diversas as cidades nacionais que já o fizeram.

Ainda no âmbito deste projeto, com o objetivo de promover o desenvolvimento e implementação de políticas de integração de imigrantes, gestão da diversidade e diálogo intercultural, fomentando o intercâmbio de melhores praxes entre as cidades associadas, em estreita ligação com a Rede Europeia de Cidades Interculturais, foi criada em Portugal, em 2012, como sendo uma associação de municípios, a Rede Portuguesa de Cidades Interculturais (RPCI). 

A RECI e a RPCI são autónomas, podendo as cidades portuguesas aderir às duas redes ou apenas a uma delas. Neste momento a RPCI agrega Lisboa, Amadora, Cascais, Oeiras, Setúbal, Loures, Santa Maria da Feira, Viseu, Braga, Coimbra, Beja, Portimão e Albufeira. Todos estes municípios integram também a RECI.

Sem necessidade de consultar sensos ou registos percebemos no nosso dia-a-dia, de modo claro, que Caldas da Rainha serve de lar a grande número de cidadãos estrangeiros dos mais variados quadrantes. 

Assim, no sentido de adquirir aprendizagem, através da troca de conhecimentos e experiências, de boas práticas relacionadas com a transformação da diversidade cultural num recurso de desenvolvimento da cidade, potenciando novas fontes de inovação, criatividade e empreendedorismo, ao mesmo tempo que se constrói uma comunidade mais inclusiva e acolhedora, gostaria de ver Caldas da Rainha aderir à Rede Europeia de Cidades Interculturais (RECI) e à Rede Portuguesa de Cidades Interculturais (RPCI). 

Acredito que com estas medidas seremos capazes de, a nível local, avançar no caminho da construção de uma sociedade pluralista e democrática, que a todos aproveite, onde as diferenças façam parte de um património comum cada vez mais valioso. É por estar convicta de que assim é, que, na qualidade de deputada, apresentei, no dia 16 de dezembro, à Assembleia de Freguesia de Nossa Senhora de Pópulo, Coto e São Gregório, as presentes propostas.


Isabel Alves Pinto

Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar