Login  Recuperar
Password
  27 de Setembro de 2020
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Bombarral
Gravar em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

BE diz que moradia ameaça Ermida de Nossa Senhora do Socorro no Bombarral  

A Ermida de Nossa Senhora do Socorro, situada na freguesia do Carvalhal, Bombarral, encontra-se, segundo o Bloco de Esquerda Leiria “ameaçada na sua zona geral de proteção (ZGP) por uma moradia privada de dois pisos que está a ser edificada praticamente paredes-meias com o monumento”. O templo, de 1574, está classificado como Imóvel de Interesse Público (Decreto no 45/93, de 30 de novembro).  

08-07-2020 |

 Diz comunicado enviado pelo BE, que “apesar de a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) se ter pronunciado favoravelmente à construção no local, houve dois pareceres anteriores, desfavoráveis, da direção-geral”. Os pareceres negativos da DGPC são vinculativos, não permitindo o posterior licenciamento de obra por parte das câmaras municipais. Já os pareceres positivos de acordo com o partido “não determinam a autorização de construção, o que acabou por ser decidido pela Câmara Municipal do Bombarral ao conceder licença para as obras da moradia privada”.
“Não sendo conhecido o que motivou a alteração do sentido dos dois pareceres da DGPC, o Bloco de Esquerda alega que “importa esclarecer o que levou à emissão de parecer favorável à construção da moradia junto ao imóvel classificado”. 
“O promotor da moradia privada terá, entretanto, incumprido o estipulado pelo parecer favorável da DGPC”, diz o documento, acrescentando que “o início das obras ficou marcado pela escavação de valas e construção de estruturas com características que não constarão do projeto apresentado pelo promotor à DGPC”.
Os elementos do BE consideram que “tais estruturas e movimentação de terras poderão pôr em causa eventuais vestígios arqueológicos e a própria estabilidade do imóvel classificado”.  
O Bloco de Esquerda entende que os “interesses imobiliários não podem sobrepor-se ao interesse público maior representado pelos valores patrimoniais do local”. Nesse sentido questionou a Ministra da Cultura com o objetivo de “esclarecer o que motivou o parecer favorável de construção que ameaça o imóvel classificado, tal como eventuais danos provocados em vestígios arqueológicos e na estrutura da Ermida”.
?
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar