Login  Recuperar
Password
  16 de Novembro de 2018
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Caldas da Rainha, Caldas / Política
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Assembleia Municipal das Caldas da Rainha aprova orçamento de 37,3 milhões de euros

A Assembleia Municipal das Caldas da Rainha aprovou na última reunião um orçamento de 37,3 milhões de euros em que a habitação, urbanização e educação arrecadam a maior fatia do investimento. O presidente da câmara, Tinta Ferreira, garantiu, durante a discussão do orçamento e plano da autarquia para 2014, que no próximo ano será dado início a “projetos na área do património termal, requalificação de escolas, reabilitação urbana e entradas da cidade".

17-12-2013 |

O orçamento foi aprovado pela maioria PSD com os votos contra de toda a oposição (foto Francisco Gomes)
O orçamento foi aprovado pela maioria PSD com os votos contra de toda a oposição (foto Francisco Gomes)
O orçamento aprovado pela maioria PSD com os votos contra de toda a oposição (PS, CDU, CDS e independentes) desce de 37,8 milhões de euros (em 2013) para 37,3 milhões de euros com o objetivo de "manter uma política de rigor, equilíbrio financeiro e impostos baixos", disse o autarca.
Segundo a agência Lusa, a Câmara prevê arrecadar em 2014 uma receita corrente de 19.406.035 euros (menos 813 mil euros que o ano passado), enquanto nas receitas de capital, cifradas em 17.982.457, se estima uma subida de 371 mil euros relativamente a 2013.
A despesa corrente estimada para 2014 é de 19.327.109 euros (menos 39 mil euros que em 2013) enquanto as despesas de capital se cifram em 18.061.383 euros, refletindo um decréscimo de 384 mil euros.
Em termos gerais, a habitação e a urbanização são as unidades orgânicas com maior previsão de despesa, absorvendo 45,4% do orçamento municipal.
As grandes opções do plano elencadas por Tinta Ferreira vão centrar-se na "continuidade das iniciativas e obras em curso", entre as quais as de regeneração urbana, orçadas em 10 milhões de euros.
O orçamento aponta ainda para "uma atenção especial" à higiene urbana e melhoria dos espaços verdes, o aumento do apoio a pequenas empresas e captação de novas e, finalmente, um reforço da componente de apoio social.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar