Login  Recuperar
Password
  22 de Agosto de 2019
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Opinião
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

A Bauhaus faz 100 anos

A Bauhaus (casa em construção) foi fundada em 1 de Abril de 1919 pelo arquitecto berlinense Walter Gropius. Desde o primeiro momento, juntaram-se-lhe Paul Klee, Josef Albers e László Moholy-Nagy, tendo como programa de ensino a integração das Belas-Artes com as artes aplicadas — com o objectivo de complementar a tecnologia e a erudição com o saber fazer tradicional, e emprestar à indústria a mestria do artesão, a qualidade do produto manufaturado cuidadoso e pormenorizado. 100 anos depois, a aura experimentalista da Bauhaus permanece.

09-02-2019 | Francisco Martins da Silva

Candeiro Carl jacob Jucker-Bauhaus
[+] Fotos
Candeiro Carl jacob Jucker-Bauhaus

No entanto, este projecto visionário durou apenas 14 anos, pois os nazis decretaram o seu fim em 1933. Mas o sentido de modernidade e ruptura, o novo modo de vida que propôs e a estética depurada de que imbuiu a arquitectura, o design, a fotografia e as artes performativas, perpetuou-se. Durante este curto período, teve sucessivas instalações em Weimar, Dessau e Berlim. O período de Dessau, entre 1924 e 1930, foi o mais fecundo. Ultrapassadas as tendências expressionistas da fase de Weimar, a escola passou a ter currículos mais funcionais e racionalistas, preconizando a contínua actualização tecnológica e a normalização do desenho industrial, almejando uma permanente colaboração com a indústria e maior intervenção na sociedade. Foi também neste período que Gropius criou o Departamento de Arquitectura da Bauhaus, impulsionando assim o Movimento Moderno na arquitectura. É, enfim, deste período o projecto de Gropius, e a construção do emblemático edifício da Escola da Bauhaus (1925-26), uma aplicação seminal e magistral dos princípios da Arquitectura Moderna.
Gropius abandonou a Bauhaus em 1928, passando a dedicar-se sobretudo à teorização das questões sociais da habitação urbana. A perseguição nazi levou-o a emigrar para os EUA, onde prosseguiu a sua brilhante carreira.
Na direcção da Bauhaus seguiram-se Hannes Meyer e, no período berlinense, Ludwig Mies van der Rohe, esse outro gigante do Movimento Moderno, que cunhou a frase «em arquitectura, menos é mais». Após o fecho da Bauhaus pelos nazis em 1933, Mies van der Rohe também emigrou para os EUA, onde foi professor no Instituto Técnico do Illinois e deu um contributo determinante no desenvolvimento do Estilo Internacional.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar