Login  Recuperar
Password
  25 de Junho de 2019
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Escolhas do Editor, Óbidos
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

92 anos dos bombeiros de Óbidos festejados no Olho Marinho

A localidade de Olho Marinho foi palco da sessão solene do 92º aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Concelho de Óbidos, no passado domingo, tendo o programa das comemorações incluído ainda romagem ao cemitério dos Arcos, missa de homenagem aos bombeiros falecidos, desfile apeado e motorizado, e almoço de confraternização.

10-04-2019 | Francisco Gomes

Foram benzidas três novas viaturas ao serviço dos bombeiros
Foram benzidas três novas viaturas ao serviço dos bombeiros
O comandante dos Bombeiros Voluntários de Óbidos, Carlos Silva, começou por recordar que “é raro o bombeiro da região Oeste que não tenha estado no Olho Marinho a combater incêndios rurais”, explicando que pelo quinto ano consecutivo concretizou-se a descentralização das comemorações do aniversário pelas sete sedes de freguesia do concelho de Óbidos.
Agradecendo à sua equipa de comando e aos homens e mulheres que compõem o corpo de bombeiros de Óbidos “por continuarem nas nossas fileiras, quando muitos infelizmente as têm abandonado”, sublinhou que por motivos de ajuda ao próximo os soldados da paz são muitas vezes obrigados a abdicar da companhia da família.
“Apesar de continuar a afirmar que a população de Óbidos pode sentir-se segura, os bombeiros precisam de novos candidatos, de forma a não pôr em causa o socorro no futuro”, manifestou, descrevendo que para captar novos bombeiros foi criada a Escola de Infantes e Cadetes, “que tem pouco mais de um ano de vida e que contempla já a lotação máxima que é de 40 crianças”.
“Queremos em breve iniciar um novo curso de instrução inicial de bombeiros no nosso quartel, por isso, jovens entre os 16 e 45 anos que queiram abraçar esta causa, dirijam-se ao quartel para fazerem a vossa inscrição”, apelou.
Relativamente à atividade referente ao socorro em 2018, reportou que houve uma diminuição de incêndios rurais em Óbidos, com uma área ardida de apenas cinco hectares, em contraste com 2017, em que arderam 495 hectares, a grande maioria no Olho Marinho.
Carlos Silva destacou o papel da atual direção da associação humanitária, “na melhoria contínua e significativa das condições de trabalho para os bombeiros de Óbidos, seja na requalificação do quartel, seja na aquisição de veículos e equipamentos, bem como no abraçar de novos projetos que, apesar da despesa, são sempre encarados como um investimento”. Do mesmo modo enalteceu a parceria existente com a Câmara.
Manifestou também solidariedade para com três arguidos no caso dos incêndios que mataram 66 pessoas em Pedrógão Grande a 17 de junho de 2017 - Sérgio Gomes, que comandava o centro distrital de Leiria da Proteção Civil, o segundo comandante operacional distrital, Mário Cerol, e o comandante dos bombeiros de Pedrógão Grande, Augusto Arnaut.
Criticou que “depois de tantos anos dados à causa, sejam tratados da forma que estão a ser”, para acrescentar que “o meu desejo é que seja reposta a verdade em todo este processo criado para tirar os holofotes dos verdadeiros culpados do flagelo dos incêndios florestais em Portugal”.

Três novos veículos

Mário Minez, presidente da associação humanitária, agradeceu igualmente a “disponibilidade e dedicação” dos elementos da corporação, elogiando a capacidade de liderança do comandante.
Descreveu depois os trabalhos executados: a construção da garagem, um pavilhão amovível que pode albergar até doze veículos, e a construção de mais três poços, que na prática vão ser um reservatório para cerca de cem mil litros de água aproveitados da chuva.
Reconheceu que com o crescimento do número de elementos, em especial femininos, as camaratas e os balneários existentes “são manifestamente insuficientes para as nossas necessidades atuais”.
Na cerimónia foram benzidos duas ambulâncias e um auto tanque. O auto tanque foi apadrinhado pela Comunidade de Golfistas de Praia D’El Rey, que contribuiu com cerca de metade do valor deste veículo. A Junta de Freguesia do Vau também doou os lucros de um jantar de natal para aquisição desta viatura, que ficará equipada para ataque direto ao fogo.
“Até fim deste mandato, temos ainda como objetivo pôr ao serviço de transporte de doentes, pelo menos mais duas ambulâncias novas, uma das quais já está negociada, falta o todo o processo de alterações. No fim do verão, iremos avançar com um projeto cooperativo para adquirir um Veículo Urbano de Combate a Incêndios, em que pretendemos que a verba para a aquisição do material para equipar este veículo seja recolhido através de um peditório por todo o concelho”, divulgou Mário Minez.
Ao presidente da Federação Distrital de Leiria, Almeida Lopes, insistiu que se “devem criar condições legais para que os bombeiros possam ser compensados legalmente por alguns dos piquetes realizados ao longo de todo o ano”.
Pediu ainda ao vice-presidente da Câmara de Óbidos, José Pereira, que seja construído um monumento ao bombeiro como forma de “reconhecimento público”.

Orçamento ultrapassa um milhão de euros

O presidente da assembleia geral da associação humanitária, José Machado, fez notar que tem mais de três mil sócios e que o movimento anual em receitas e em despesas ultrapassa um milhão de euros.
“24% dos rendimentos de 2018 tiveram origem em subsídios de organismos do nível central do Estado (Autoridade Nacional da Proteção Civil e Instituto Nacional de Emergência Médica), com um total de 279 mil euros. 22% dos rendimentos foram subsídios do Município de Óbidos, no valor de 263 mil euros. São ainda significativos os apoios de entidades privadas. No ano passado houve uma redução de custos de 6% e um aumento de proveitos de 2%. Também no ano passado, o prazo médio de pagamento a fornecedores baixou para 23 dias”, enumerou, frisando que “a sustentabilidade dos bombeiros de Óbidos depende da continuação dos apoios financeiros”.
Revelou ainda que a assembleia geral decidiu convidar os associados a darem contributos para a revisão dos estatutos, aprovados há mais de dez anos.

Necessários incentivos ao voluntariado

“É sempre com agrado que estamos presentes para mostrar solidariedade. Saio com alma cheia e com vontade de continuar a lutar pelo ideal dos bombeiros, ao ver esta escola de infantes e cadetes com 40 jovens”, manifestou o presidente da Federação Distrital de Leiria, Almeida Lopes, que defendeu ser “necessário criar incentivos para o voluntariado”.
Mário Cerol, segundo comandante distrital das operações de socorro de Leiria, realçou que “os bombeiros são o pilar da proteção civil e em Óbidos há competência e qualidade”.
O vice-presidente da Câmara de Óbidos, José Pereira, declarou que “o município regozija-se com este corpo de bombeiros”, indicando que a autarquia presta apoio com “350 mil euros de forma direta ou indireta, para que possa desenvolver um trabalho de excelência”.
O presidente da Junta de Freguesia de Olho Marinho, Hélder Mesquita, disse que recebe “com orgulho” receber a cerimónia de aniversário, que mostra “a proximidade” dos bombeiros à comunidade. Entregou duas medalhas da freguesia ao comandante dos bombeiros e ao presidente da associação humanitária.


Entrega de insígnias, promoções e condecorações

A escola de infantes e cadetes dos bombeiros de Óbidos iniciou-se em fevereiro de 2018, contando atualmente com dez cadetes e trinta infantes.
Foram entregues insígnias aos infantes que, no decorrer do último ano, completaram 14 anos e passaram a cadetes: André Casaca, Bruna Silva, Miguel Jorge e Duarte Simões.

Novos infantes que ingressaram durante o último ano: Mariana Silva, Gabriel Bernardino, Pedro Silva, João Silva, Cristiano César, Bernardo Costa, Madalena Conceição, Leonardo Santos, Cristiano Rodrigues, Gabriel Pacheco, Daniel Minez e Maria Silva.

Aluno do ano, tendo como critérios as presenças e o aproveitamento escolar: Cadete Ana Azevedo.

Promoção a Bombeiro de 3ª: Estagiários por ordem de classificação final: Miguel Santos, Gonçalo Amaral, Renato Santos, Pedro Aleixo, Márcia Carvalho, Lucinda Gomes, Francisco Nascimento e Elisabete Casaca.

Distinguidos com a Medalha de Assiduidade Grau Cobre, por cinco anos de bons e efetivos serviços: Bombeiro 3ª – Ivo Marcos; Bombeiro 3ª – Pedro Costa; Bombeiro 3ª – Márcio Pisoeiro; Bombeiro 3ª – Rafael Mendonça; Bombeiro 3ª – Hugo Faustino.

Distinguidos com a Medalha de Assiduidade Grau Prata, por dez anos de bons e efetivos serviços: Bombeiro 2ª – David Santos; Bombeiro 2ª – Liliana Gomes.

Distinguidos com a Medalha de Assiduidade Grau Ouro, por vinte anos de bons e efetivos serviços: Adjunto de Comando Patrícia Reis; Bombeiro 1ª Adélia Antunes; Bombeiro 1ª Luís Rodrigues.

Distinguidos com a Medalha de Dedicação Grau Ouro, por vinte e cinco anos de bons e efetivos serviços: Bombeiro 1ª Emídio Eusébio; Bombeiro 2ª João Pereira; Bombeiro de 2ª – Eddy Dias.

Medalha da Associação Grau Cobre, entregue aos elementos que contam com dez ou mais anos de bons e efetivos serviços e que nunca receberam esta medalha: Chefe António Ventura, Chefe Vítor Mendonça, Chefe José Reis, Chefe Carlos Jorge, Subchefe Sérgio Mendonça, Subchefe Gonçalo Almeida, Bombeiro 1ª Adélia Antunes, Bombeiro 1ª Edgar Batista, Bombeiro 1ª Óscar Miguel, Bombeiro 1ª Bruno Grazina, Bombeiro 2ª João Pereira, Subchefe Jorge Pereira, Subchefe José Ferreira, Bombeiro 1ª Gonçalo Henriques, Bombeiro 1ª Álvaro Almeida, Bombeiro 1ª Pedro Bandola, Bombeiro 2ª Fábio Antunes, Bombeiro 2ª Elson Mendonça, Bombeiro 2ª David Santos, Bombeiro 2ª Victor Felizardo, Bombeiro 2ª Liliana Gomes, Bombeiro 3ª André Miguel e Bombeiro 3ª Fábio Pinto.

Prémio Bombeiro do Ano – Através de eleição, reconhece formalmente a dedicação, empenho, espírito de sacrifício, disponibilidade e ambição pela causa: Chefe Carlos Jorge.

Louvor da Autoridade Nacional de Proteção Civil: Comandante Carlos Silva, pela dedicação, zelo e elevada competência como, durante três anos, desempenhou as funções de coordenador da Unidade de Intervenção de Salvamento Aquático de Leiria e pelo contributo importante que tem prestado ao desenvolvimento e consolidação do Sistema Integrado de Operações de Proteção e Socorro no distrito de Leiria, nomeadamente na área do salvamento aquático.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar