Opinião

500 anos da morte de Leonardo Da Vinci

Leonardo da Vinci nasceu na região italiana da Toscana, no dia 15 de abril de 1452.


Ainda menino já mostrava uma apetência especial para o desenho e para a pintura. Com 14 anos, juntamente com a família, saiu da pequena aldeia de Vinci e instalou-se em Florença. Dois anos depois, iniciou uma etapa de aprendizado com, o já famoso pintor e escultor, Andrea del Verrocchio, no ateliê deste. Em 1475 participa numa obra do Mestre, chamada “O Batismo de Cristo”, sendo responsável pela pintura dos anjos e parte da paisagem. Iniciou-se com este trabalho a sua escalada na conquista do mundo, como pintor e homem extraordinário. Ao longo da sua vida executou mais duas dezenas de pinturas, todas elas consideradas obras de arte exponenciais. Desse acervo é impossível não referir a famosa “Mona Lisa” que, supostamente, retrata Lisa Gherardini, a esposa do abastado florentino Francesco del Giocondo.
Apesar de Leonardo ter ficado célebre, essencialmente, como artista plástico, a sua marca na história, e a sua espetacularidade, estão muito longe de se ter limitado a esta área.
Seguindo um dos seus célebres pensamentos, talvez tenha sido a necessidade que lhe aguçou o engenho. A necessidade de aprender, de saber, de descobrir, de experimentar e de se superar a si próprio. E conseguiu! Ultrapassou os seus limites e surpreendeu a memória dos homens. Além da pintura, possuía conhecimentos profundos, e concretizou trabalhos de relevo, em matérias muito distintas, como escultura, arquitetura, poesia, música, engenharia, matemática, anatomia e botânica. Era aquilo a que, embora raro, se convencionou chamar um polímata, e deixou, às gerações seguintes, e às que hão-de vir, um riquíssimo património cultural, que todos temos o dever de preservar.
Leonardo da Vinci morreu em França a 2 de maio de 1519, há 500 anos, portanto. Na data do seu desaparecimento gostaria de ver homenageada a vida de um dos mais perfeitos génios da humanidade, e o legado imenso que lhe saiu das mãos e do pensamento.

Author: Dir

Ver mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Close