Login  Recuperar
Password
  Sexta, 24 de Outubro de 2014
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Escolhas do Editor, Caldas da Rainha, Regional, Global
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Torres Vedras contra transferência de maternidade para as Caldas

A comissão de utentes de saúde de Torres Vedras lançou uma campanha em defesa da permanência da maternidade no hospital de Torres Vedras, que poderá ser transferida para Caldas da Rainha até ao fim do mês. A campanha "Queremos que os nossos filhos continuem a nascer em Torres Vedras" foi lançada na rede social Facebook. Os promotores sugerem à população que envie mensagens por correio eletrónico ao Centro Hospitalar do Oeste e à Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) a demonstrar a necessidade de manter aberto o bloco de partos.

06-03-2013 |

Campanha "Queremos que os nossos filhos continuem a nascer em Torres Vedras" foi lançada no Facebook (foto agência Lusa)
Campanha "Queremos que os nossos filhos continuem a nascer em Torres Vedras" foi lançada no Facebook (foto agência Lusa)
A comissão de utentes alega que a população de 180 mil habitantes servida pelo hospital de Torres Vedras é superior àquela que depende do hospital de Caldas da Rainha (110 mil), com a passagem de grande parte das freguesias da Nazaré e Alcobaça para Leiria.
Além disso, argumenta que a população dos concelhos sob a influência da unidade de Torres Vedras é mais jovem do que a norte da região e que duplicou de 2001 para 2011, de acordo com os últimos Censos.
Em Torres Vedras, o aumento populacional foi de 10%, tendo nascido em 2012 mais de 1.500 crianças, sendo que 800 partos foram realizados na maternidade local.
"Os dados deveriam justificar um empenho redobrado por parte dos responsáveis, no sentido de tornarem o serviço mais atrativo para responder condignamente às necessidades atuais e futuras das populações, em vez de pensarem no seu encerramento", sublinhou a comissão à agência Lusa.
A saída de médicos obstetras de Torres Vedras para outros hospitais, segundo a comissão, afasta as parturientes desta maternidade.
"Não podemos aceitar que se tente justificar o encerramento de um serviço pela escassez de especialistas, ao invés de reforçar imediatamente o seu número", defendeu.
A administração do Centro Hospitalar do Oeste tem vindo a reunir à porta fechada com comissões de utentes, autarquias e outras entidades no sentido de, até final deste mês, delinear uma proposta de reestruturação de serviços para os hospitais de Torres Vedras e Caldas da Rainha, com vista à redução de gastos, e enviá-la à ARSLVT.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
Manuela Cruz10-03-2013 às 23:34
Votação (0)
Se fecharem a Maternidade em Torres e a transferirem para Caldas, irão fechar também a Pediatria de Torres e transferi-la para Caldas, A localização do hospital de Caldas é perigosa para Pediatria e Cirurgia, logo é perigosa para cesarianas. Logo será mais um perigo. Será que os Pediatras de Torres aceitarão ir de cavalo para burro ?
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar