Login  Recuperar
Password
  Quarta, 24 de Setembro de 2014
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Cultura
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Teatro da Rainha encena Auto de São Martinho

14-03-2012 |

Teatro da Rainha encena Auto de São Martinho
Teatro da Rainha encena Auto de São Martinho
No âmbito dos 500 anos da comemoração do Livro do Compromisso da Rainha (Dona Leonor), livro de legislação e regulamentos que antecipa em termos europeus a ideia de que o tratamento hospitalar era um serviço (público estatal) aos cidadãos e particularmente aos fracos e pobres, o Teatro da Rainha realiza, no próximo dia 18, pelas 17.30 horas, a exibição do Auto de São Martinho no adro da Igreja do Pópulo. São Martinho parte a capa ao meio e divide-a com o pobre que exibe as suas chagas. Esse seria o gesto que a Rainha praticaria ao abrir um Hospital nas Caldas – o mais antigo Hospital Termal europeu público – para servir os pobres usando as águas santas como curativo e pondo-as ao serviço da comunidade e não de uns tantos só como agora parece estar na ordem do dia, numa posição que é retrógrada, conservadora e ao serviço do capitalismo selvagem. Na realidade S. Martinho ao fazê-lo institui um princípio de partilha que torna o milagre um ato de construção vital, não se tratando apenas de algo que se faz fortuitamente. Éuma simbologia alegórica, em princípio de vida. O Auto foi feito em 1504 na Igreja do Pópulo perante Dona Leonor e prova o afeto do poder pelo valor do teatro como arte e sistema de falar do mundo ao mundo, mas simultaneamente afirma que a instituição hospitalar é um serviço e não um negócio, um gesto de humanidade e não uma empresa lucrativa. A encenação da peça é promovida pela Câmara das Caldas e no final a populaç\ao será convidada a lançar 500 balões, um por cada ano das comemorações.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar