Login  Recuperar
Password
  Sexta, 24 de Outubro de 2014
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Escolhas do Editor, Cultura, Caldas da Rainha, Global
Imprimir em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Caldas da Rainha

Festa juntou mil emigrantes na Expoeste

Cerca de mil pessoas confraternizaram na Festa do Emigrante, na Expoeste, um evento que esteve em risco de se realizar e só foi anunciado nas vésperas de acontecer.

10-08-2012 | Carlos Barroso

O convívio foi acompanhado de uma boa refeição/foto Carlos Barroso
[+] Fotos
O convívio foi acompanhado de uma boa refeição/foto Carlos Barroso

Apesar deste contratempo, o presidente da câmara das Caldas considera que esta festa se deve manter, porque os emigrantes merecem.

“Apesar de estarmos em crise e com alguma redução de despesas, mesmo assim achamos útil, necessário e vantajoso fazer esta festa. Ou faríamos aqui ou numa freguesia como a Serra do Bouro. Chegámos a pensar nisso, mas a Expoeste é o melhor local por ter melhores condições. Os emigrantes merecem tudo pelo que fazem por Portugal. Esta festa deve-se manter”, disse o presidente da câmara.

Numa altura quem que o primeiro ministro fala em emigração nos jovens, Fernando Costa afirmou que “a emigração está ligada à crise do país. Há falta de emprego no país e em toda a Europa. Algumas pessoas estão a emigrar para outros continentes, mas isto é uma questão cíclica. Toda a vida foi assim. Não é satisfatório emigrar, mas trata-se de uma opção e um desafio”.

Fernando Costa lamentou que os jovens emigrem, até porque também a sua filha emigrou para Itália para trabalhar na área da moda.

“É uma pena. Eu preferia que não fossem, mas há muitas áreas em que os jovens se especializam e não é possível trabalhar cá, por atingirem grandes níveis de especialização. A minha filha também é jovem e também é emigrante. Neste momento ela está em Itália a trabalhar na moda e espero que um dia ela volte para Portugal”, declarou.

Confrontado se a autarquia pode inverter esse ciclo e até atrair investimentos de emigrantes, o autarca apontou que “agora é um bom momento para investir em Portugal, porque as casas estão baratas, os impostos nas Caldas são baixos e isso leva a que alguns invistam aqui”.

O Dia do emigrante realiza-se há vinte anos, segundo a autarquia, que promove o convívio. Para além da animação e da festa, este é um dia de emoções fortes, uma vez que agosto é tradicionalmente o mês de férias, data especialmente escolhida pela maioria dos emigrantes para se deslocarem a Portugal. Matam saudades, trocam experiências e histórias, num clima em que as emoções fluem.

Durante este evento, a artista caldense Rebeca, que este ano comemora 15 anos de carreira, foi homenageada pela comunidade de emigrantes caldenses. Rebeca, muito acarinhada pelos caldenses, é presença habitual em muitos dos eventos realizados nas comunidades portuguesas emigradas.

A festa foi integrada na Expotur - Festa de verão.


Carlos Barroso

COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar